Cobertura

Confira 10 dicas de como combater o sedentarismo

Organização Mundial da Saúde diz que 81% dos jovens são sedentários. Professor de Educação Física pode colaborar para redução desse número.

Uma das grandes discussões atualmente é sobre como combater o sedentarismo. O sedentarismo é definido como a falta, ausência ou diminuição de atividades físicas ou esportivas por parte de um indivíduo. Considerada por especialistas como a doença do século XXI, está associada ao comportamento cotidiano decorrente dos confortos que temos hoje em dia. Pessoas que tem um gasto calórico reduzido semanalmente pela ausência da prática esportiva são consideradas sedentárias ou com hábitos sedentários.

Para saber se você está entre os que sofrem com o sedentarismo, é preciso repensar as atividades feitas durante o dia. Uma vida sedentária é caracterizada pela ausência de atividades físicas. Ela pode resultar num processo de regressão funcional, perda de flexibilidade articular além de comprometer o funcionamento de vários órgãos do nosso corpo.

A gravidade do sedentarismo fica caracterizado pelas doenças às quais ele está associado. Veja alguns exemplos: hipertensão arterial, diabetes, obesidade, aumento do colesterol e infarto do miocárdio. A vida sedentária pode também ser causa direta ou indireta de morte súbita.

Números no Brasil e no mundo preocupam

Segundo dados de 2018 da Organização Mundial da Saúde (OMS), um em cada quatro adultos não pode ser considerado praticante de atividade física — o percentual exato é de 23% desse grupo da população. Entre os adolescentes (entre 11 a 17 anos), quatro em cada cinco são sedentários, com índice de 81%. Esse fato eleva a importância das atividades realizadas nas aulas de Educação Física. Confira aqui um material que ajuda professores a combaterem o sedentarismo na escola.

A OMS adotou diretrizes para que ações governamentais ajudem a combater o sedentarismo. São elas: a criação de sociedades ativas, com a mudança de paradigma em toda a sociedade; aumento do conhecimento sobre os benefícios da prática de atividade física; criação de ambientes ativos, que promovam atividades físicas, com parques abertos a todos e seguros; proliferação de pessoas ativas, com o incentivo a programas criados por grupos ou por indivíduos, como o que acontecem em escolas; e, por fim, a criação de sistemas ativos, com a adoção de políticas públicas e capacitação de profissionais.

No Brasil, o Ministério da Saúde fez um alerta: três em cada 100 mortes registradas em 2017 podem ter sido influenciadas pelo sedentarismo. Dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), apontam que dos 1,3 milhão de óbitos registrados naquele ano, 34.273 mil estão relacionados às doenças como o diabetes, o câncer de mama e o de cólon e cardiovasculares.

Separamos 10 dicas para te ajudar a combater o sedentarismo e melhorar a saúde. Elas podem beneficiar adultos, adolescentes e até crianças. Seguem as sugestões:

1) Escolha sua atividade física preferida

Comece sempre pelo que desperta o seu interesse. Se você prefere atividades ao ar livre, não adianta se matricular em academias ou estúdios. Se você é mais tranquilo, provavelmente vai preferir pilates a aulas de dança. Por isso, é essencial que o professor de Educação Física ofereça diferentes opções aos alunos. Veja aqui algumas opções.

2) Procure um ambiente perto de casa ou do trabalho

A distância é uma das maiores causas de desistência das atividades físicas. Para dar continuidade ao hábito, escolha um local que esteja em seu itinerário. Assim, fatores como trânsito, mau tempo, preço do combustível e falta de tempo não vão ser mais empecilhos para a rotina de exercícios. No caso do professor de Educação Física, os alunos já estão reunidos na escola! Use isso a seu favor.

3) Não tenha pressa para colher resultados

Os resultados dos treinos são conquistados diariamente. Não espere começar a atividade e ver conquistas imediatas. Frustrações geram abandono do exercício. Determine também aonde você quer chegar, pois metas ajudam a manter o foco. Converse sobre isso com os jovens. Muitas vezes, eles têm grande preocupação com a aparência ou desempenho nas aulas.

4) Aliar os exercícios à boa alimentação 

Essa é uma forma de levar o treino a sério. A alimentação correta potencializa os ganhos, o que também dá motivação. Entenda que seu corpo precisa de quantidades específicas de cada nutriente, e que refeições irregulares podem prejudicar os resultados e causar desânimo. Veja dicas de como comer melhor.

5) Aproveite o tempo livre para descansar

Não adianta chegar ao local de treino cansado. A atividade não será prazerosa e os resultados não serão os mesmos, já que você não vai se dedicar totalmente. Além disso, o cansaço é um fator decisivo para faltar o treino. Na escola, converse com os alunos sobre a importância de ter uma boa noite de sono.

6) Tenha um parceiro de atividades

Uma boa companhia é excelente motivação para dar início e continuidade aos treinos. Quanto mais gente no mesmo foco, melhor. Se um amigo estiver pensando em ficar em casa, o outro insiste para que ele compareça à atividade, liga e se oferece para buscá-lo. Na aula de Educação Física, é sempre importante oferecer esportes coletivos e atividades em dupla ou trio.

7) Saiba qual o melhor horário para o seu corpo 

Saber o período do dia em que você está mais disposto a praticar atividades físicas é fundamental. Busque um horário que se adapte à sua rotina e que, ao mesmo tempo, seja um turno em que seu corpo esteja disposto a receber estímulos. Professor de Educação Física, converse com o seu diretor! Juntos, vocês podem entender em que momento do dia é mais adequado colocar as aulas, pensando inclusive na relação com as outras disciplinas.

8) Ter acompanhamento médico

Todo mundo deve se exercitar, mas nem sempre da mesma forma. O médico é o profissional mais indicado para orientações sobre as atividades ideais para cada pessoa. Registre também seus resultados com especialistas. Ter acompanhamento regular auxilia na continuidade dos exercícios.

9) Adote hábitos saudáveis

Pratique esportes como trilha ou corrida no seu momento de lazer. Atividades ao ar livre dão ao atleta a chance de conhecer novos lugares e apreciar ótimas vistas. Dividir esses espaços com mais pessoas se exercitando serve como impulso. Vale incluir atividades periódicas como o futebol com os amigos e andar de bicicleta com as crianças ou buscá-las da escola caminhando.

10) Compartilhe a sua evolução com seus amigos e parentes

As redes sociais são boas ferramentas para dividir a rotina com os amigos. Mostre a eles cada etapa do progresso, da compra do tênis à refeição do dia. Seus contatos podem ter a sensação de participar do seu novo projeto e enviar mensagens de incentivo. Suas conquistas também vão inspirar outras pessoas. Sugira que seus alunos façam o mesmo!

O médico e escritor Drauzio Varella gravou um vídeo com mais informações sobre sedentarismo para o seu canal no YouTube.

E aí, professor(a), tem mais alguma dica para combater o sedentarismo? Deixe seu comentário abaixo!

BNCC na Prática: do currículo à sala de aula

Deixe seu comentário

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *