Cobertura

10 curiosidades sobre os Jogos Paralímpicos

Professores podem surpreender os alunos com histórias interessantes sobre os Jogos Paralímpicos enquanto ensinam esportes como goalball e futebol de 5

De acordo com dados do IBGE, cerca de 45 milhões de pessoas no Brasil tem algum tipo de deficiência. Isso não significa, é claro, que elas não possam praticar esportes! O Impulsiona defende uma Educação Física inclusiva, que não apenas permita que jovens com deficiência participem ativamente, mas que também gere conscientização e respeito nos colegas de turma. Para isso, temos cursos e aulas exclusivas de futebol de 5, goalball e vôlei sentado.

Mas nem só de prática se faz uma aula de Educação Física, certo? Para ajudar na conversa com os alunos, preparamos 10 curiosidades sobre os Jogos Paralímpicos que vão impressionar a garotada. Confira!

1) Segunda Guerra Mundial

A origem dos Jogos Paralímpicos remonta a 1939, quando o neurologista alemão Ludwig Guttmann assumiu o Centro Nacional de Traumatismo da cidade de Stoke Mandeville, na Inglaterra. A principal missão era recuperar, por meio do esporte, os soldados que foram feridos na Segunda Guerra Mundial!

2) Paralímpico ou Paraolímpico?

Atualmente, o termo oficial é Paralímpico. Dois motivos levaram a essa mudança. Primeiro, o resto do mundo (incluindo o Comitê Paralímpico Internacional e o português) já adotavam essa nomenclatura. Segundo, a palavra “paraolímpico” vem da junção do prefixo grego para (de paraplegia) com o adjetivo olímpico. Já “paralímpico” conectaria a preposição grega para (ao lado) com a palavra olímpico – simbolizando que os eventos coexistem lado a lado.

3) É teeeeeetra!!

O Brasil ganhou TODAS as edições dos Jogos Paralímpicos no futebol de cinco até hoje! Essa modalidade é praticada por deficientes visuais, e faz parte da competição desde Atenas 2004. E olha que maravilha: nosso primeiro título veio em cima da Argentina! Desculpa aí, hermanos! Que venha o penta em 2020!

4) Fraude espanhola

A Espanha levou o ouro no basquete masculino em Sydney 2000 na disputa entre atletas com deficiência intelectual. Muito orgulho para o país, até que… uma investigação descobriu que dos 12 jogadores, 10 não tinham nenhum tipo de deficiência. Os espanhóis perderam a medalha, e os Jogos Paralímpicos não receberam mais atletas com deficiência intelectual até Londres 2012.

5) O Agito que agita!

O símbolo dos Jogos Paralímpicos são os três agitos (“eu me movo”, em latim). As cores – vermelho, azul e verde – são as mais representadas nas bandeiras dos países de todo o mundo. Os agitos apontam na mesma direção, simbolizando a missão do Comitê Paralímpico Internacional de unir atletas de todos os continentes para competirem juntos.

6) Usain Bolt x Petrúcio Ferreira

O brasileiro Petrúcio Ferreira levou o ouro no atletismo na prova de 100m dos Jogos Rio 2016. Competidor da categoria T47, para amputados, Petrúcio bateu o recorde Olímpico com o tempo de 10s57. Para efeitos de comparação, o atleta Paralímpico ficaria apenas 66 centésimos atrás do recorde de Usain Bolt, em Londres 2012!

7) Reconhecimento merecido!

Em algumas categorias, corredores com deficiência visual necessitam de guias nas disputas. Os guias precisam estar em forma para não ficar para trás! Nada mais justo do que reconhecer essa parceria: eles também sobem ao pódio e recebem medalhas!

8) Olha, que coisa mais linda, mais cheia de graça…

Desde 1972, os países-sede dos Jogos criam um mascote para representar a competição. Em 2016, os cariocas conheceram Tom, o mascote Paralímpico. Nomeado em homenagem a Tom Jobim, o personagem remete à flora brasileira. Com o fim dos Jogos, Tom foi adotado como mascote pelo Comitê Paralímpico Brasileiro!

9) Onda de medalhas

A natação Paralímpica nos Jogos Rio 2016 teve 14 classes diferentes, cada uma com variações de categorias e gênero, que distribuíram 152 medalhas de ouro. Haja fôlego!

10) Mensagem inspiradora

Para terminar, o lema dos Jogos Paralímpicos é “Espírito em Movimento”. Então não fique de fora! Leve o Movimento Paralímpico para os seus alunos e promova inclusão na aula de Educação Física.

Confira os nossos cursos e aulas exclusivas de futebol de 5, goalball e vôlei sentado.

Deixe seu comentário

7 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Avatar Geronimo Lopes Dantas disse:

    Excelente explicação sobre Paraolímpicos x Paralímpicos. Foi de grande ajuda a definição detalhada do tema. Sucesso a toda equipe.

    1. Avatar Impulsiona disse:

      Valeu, Geronimo! Continue por aqui no Impulsiona \o\

  2. Avatar FRANCISCO REVOREDO disse:

    Já trabalho os jogos adaptados como por exemplo: Handebol e basquete utilizando cadeiras de plástico. Agora vou trabalhar o futebol de duplas (um com os olhos vendados, atletismo da mesma forma e o vôlei sentado.

    1. Avatar Impulsiona disse:

      Muito legal, Franciscco! Quando fizer essas atividades, manda fotos e vídeos pra gente?? contato@impulsiona.org.br

  3. Avatar André Louis disse:

    Levar o Movimento Paralímpico para as escolas, é de suma importância que os alunos, professores e servidores de modo geral, tenham o conhecimento que o esportes é para todos, inclusive para as pessoas com deficiência, para que tenham o “Espírito em Movimento”.

  4. Avatar Dimicilia farias de lira colares colares disse:

    Muito show! saber de tantas curiosidades, cada vez mais quero me dedicar nesse assunto que amo muito.

  5. Avatar PEDRO disse:

    MUITO BOM