Cobertura

Capoeira: origem, história, estilos e como ensinar na escola

Saiba mais sobre a capoeira, um dos maiores símbolos da cultura brasileira, e aprenda a levar este esporte para a sua escola

Poucos símbolos representam tanto o Brasil quanto a capoeira. Essa mistura de dança, luta, artes marciais e música carrega a cultura do nosso país para o mundo todo. Sendo assim, é importante que os professores de Educação Física incluam essa atividade no planejamento das aulas. Destacamos abaixo alguns aspectos básicos da capoeira. Para saber mais, clique aqui e baixe gratuitamente a nossa aula digital.

História da capoeira

Nem todo mundo sabe que a capoeira nasceu durante a época da escravidão no Brasil. Pesquisas indicam que entre 3 e 5 milhões de africanos foram trazidos para trabalhar à força, principalmente na agricultura, mineração ou com serviços domésticos. A capoeira era, nessa época, uma forma de luta e resistência dos escravos. Estes, proibidos de praticar qualquer tipo de luta pelos senhores de engenho, “disfarçavam” os movimentos de combate com música e dança, criando assim a capoeira.

Origem do termo

Por ser uma expressão cultural transmitida de forma oral por muitas gerações, não se sabe ao certo a origem do termo capoeira. Duas explicações são consideradas as mais prováveis.

A primeira remete ao idioma tupi. “Ka’a” significa mata e puêra significa o que foi. Os escravos que escapavam das propriedades rurais muitas vezes se escondiam em áreas de mata rasteira, de agricultura índigena.

A segunda explicação vem de um cesto chamado de capoeira no qual os escravos transportavam mercadorias para os centros comerciais da época. Alguns historiadores acreditam que, neste trajeto, os escravos praticavam a mistura de dança e luta, que terminou apelidada com o nome do cesto.

Proibição da capoeira

Em 11 de outubro de 1890, já após a Proclamação da República, decreta-se proibida a capoeira, sob pena de prisão de dois a seis meses para os praticantes, e o dobro para os líderes da atividade. Caso o capoeirista fosse estrangeiro, seria deportado depois de cumprida a pena. Os chamados “capoeiras” eram considerados marginais.

Apenas em 1935 a capoeira sai da ilegalidade, sendo considerada posteriormente parte da Educação Física e em seguida modalidade desportiva. Em 2014, a UNESCO reconheceu a capoeira como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

A importância da música

Qualquer pessoa que já tenha assistido a uma roda de capoeira sabe a importância e a força que a música possui. Normalmente, vem acompanhada de cantos (solos ou em coro), palmas e instrumentos. Os principais são o berimbau, pandeiros e atabaque. Veja aqui como construir um berimbau com material reciclado. É este instrumento que comanda o ritmo e o tipo de capoeira que será jogado.

A música pode ser composta por pequenas estrofes e refrões rápidos, ou ter longas narrativas lentas, conhecidas como ladainha. A temática é muito variada, e pode contar histórias de capoeiristas famosos, hábitos de antigos escravos, cotidiano de pessoas humildes no Brasil… Veja abaixo um exemplo com a letra da música.

Tipos de capoeira

Apesar de existirem muitos estilos de capoeira, são dois os mais conhecidos:

Capoeira Angola: estudos indicam que o nome vem do porto de Angola, principal ponto de embarque dos escravos africanos. Para os portugueses, todos os escravos trazidos da África eram chamados de angolanos. É uma estilo mais lento, com movimentos praticados perto do solo, muito sutis. O mestre mais famoso da capoeira angola é Pastinha, que em 1941 fundou o extinto Centro Esportivo de Capoeira Angola (CECA), no Largo do Pelourinho, em Salvador.

foto em preto e branco do mestre de capoeira pastinha com berimbau no primeiro plano

Capoeira Regional: este estilo foi criado pelo Mestre Bimba, originalmente com o nome “luta regional baiana”. A capoeira regional tem fortes elementos de artes marciais nos seus movimentos. É um jogo mais rápido, cheio de fundamentos próprios e ordens de aprendizado, a famosa “sequência de ensino”.

Veja um exemplo de sequência e uma imagem de Mestre Bimba abaixo.

imagens de movimentos de capoeira numerados

imagem de mestre bimba, referência da capoeira regional

Como ensinar na Educação Física

Existem muitas formas de ensinar a capoeira na aula de Educação Física. Em comum entre todas, está a importância de falar da história e cultura por trás deste esporte, além de garantir que os alunos façam os movimentos de forma segura.

O Impulsiona preparou um passo a passo com fotos e vídeos para ajudar os professores a introduzirem a capoeira no planejamento de aulas. No material, você também vai descobrir como construir um berimbau com materiais reciclados. Para fazer o download gratuito deste PDF, clique aqui.

Gostou da matéria ou já possui alguma experiência com a capoeira na sua escola? Deixe seu comentário abaixo!

Deixe seu comentário

4 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Avatar Luiz Sergio Fernamdes Mestre Dynamite disse:

    Só um Mestre de CAPOEIRA e habilitado para ensinar capoeira em escolas nunca um professor de educação física.

    1. Avatar Impulsiona disse:

      Olá, Luiz. Obrigado pelo comentário! Com certeza o mestre de capoeira tem uma capacidade de aprofundamento e conhecimento muito além! Mas no Impulsiona, acreditamos na democratização do acesso ao esporte, e na importância do primeiro contato com diferentes modalidades, mesmo que de forma mais superficial. Assim, os alunos podem desenvolver o gosto pela atividade e procurar clubes ou organizações que permitam um treinamento mais profissional 🙂

  2. Avatar Adelma Barbosa de Lima disse:

    Na escola em que trabalho só vejo aulas práticas, não percebo um trabalho desenvolvido com conteúdos – a história da capoeira, todo seu contexto histórico.

    1. Avatar Impulsiona disse:

      Adelma, infelizmente algumas escolas ainda focam só no movimento e esquecem todo o aprendizado socioemocional por trás do esporte. Espero que a gente consiga ajudá-los com isso!