Cobertura

Cinco jogadores de futebol engajados na luta antirracista

O esporte é uma importante ferramenta para transformação social. Conheça os jogadores que se posicionam a favor da luta pela igualdade racial

A história do nosso país é fortemente marcada pela escravidão, que dominou, oprimiu e explorou pessoas negras e indígenas durante séculos. No entanto, apesar dessa prática ter sido abolida há mais de 100 anos, no Brasil, casos de atitudes de ódio motivados pelo racismo ainda são rotina em muitas localidades, inclusive nos campeonatos de futebol. 

Conforme aponta o Observatório da Discriminação Racial no Futebol, os números de casos de racismo mais que dobraram em três anos. Com isso, a fim de mudar o atual cenário, diversos jogadores e clubes de futebol que acreditam no poder de transformação do esporte começaram a se mobilizar contra essas práticas.  

Assim como os atletas e clubes, o Impulsiona acredita que o esporte pode ser uma grande ferramenta na construção de uma sociedade mais justa. Por isso, preparamos uma lista com 5 jogadores de futebol engajados na luta antirracista. Confira! 

1) Gabriel Jesus

Jogador revelado pelo Palmeiras e, atualmente, atacante do Manchester City, Gabriel Jesus sempre deixou claro sua posição com relação ao racismo. Em 2020, com o assassinato de George Floyd, o jogador se mostrou favorável aos protestos contra a o genocídio da população negra que rolaram no mundo inteiro.  

‘’Não estamos dizendo que outras vidas não importam, mas sim que as vidas negras que sofrem com racismo importam. Não podemos generalizar. Nem todo mundo é racista, a maioria não é, mas muita gente é e parece que eles não têm cérebro”, apontou o atacante do City. 

“Então, quando usamos essa frase é porque nós sabemos o que é ser uma vítima de racismo. É doloroso sentir isso”, completou. 

2) Aranha 

Ativista e palestrante contra o racismo desde que deixou os gramados, o ex-goleiro Aranha foi vítima de ataques racistas durante sua passagem pelo futebol.

O ex-goleiro sofreu ataques diante da torcida do Grêmio e pediu para que o árbitro parasse o jogo, pela Copa do Brasil, em 2014. As câmeras gravaram os insultos e também os gestos de quatro pessoas. Na época, os identificados foram indiciados pela Polícia e ficaram impedidos de frequentar os estádios.

”A parte dos xingamentos (racistas) é a mais fácil. Complicado é aquilo que você não enxerga. A essência do futebol no Brasil é totalmente racista, os negros não podiam jogar. Como é uma coisa nova ainda, de 100 anos, tem muito diretor, netos de diretores daquele tempo. Muito figurão ainda no futebol que traz esse pensamento. O que aconteceu com o Barbosa (goleiro da Copa do Mundo de 1950)… Eles usaram aquele lance para descarregar o racismo nele, porque era negro e eles não queriam. Usaram aquilo e depois dele para todos, “goleiro negro não vinga, não serve”. No meu caso, passei a ser o encrenqueiro. Todo time que me contrata sabe que toda vez que acontecer alguma coisa eu vou ter que falar e estarei com a camisa do clube. Nem todo diretor está disposto a abraçar isso”, afirmou Aranha em entrevista para o Globo esporte.

3) Vinícius Júnior

O atacante do Real Madrid, revelado pelo Vasco, também sempre se posicionou a favor da luta pela igualdade racial.  

Em uma entrevista para CNN, o artilheiro disse que sempre sofreu racismo na sua vida, assim como questionamentos sobre a carreira. Observou, então, ações para educação que lidera, disse querer que “as próximas gerações estejam preparadas, como eu estou, para combater racistas e xenofóbicos” e que tenta ser um exemplo de profissional e cidadão. 

4) Grafite

Ex-atacante e atual comentarista do Sport TV, Grafite também foi mais uma vítima de ataques racistas. Foi a partir deste caso que o ex-jogador começou a se engajar na luta.

Para ele, é importante mudar velhos hábitos. Principalmente no que diz respeito a apelidos e expressões de cunho racista.

”A gente tem que se policiar sempre, (como) brincar com um amigo: ”Ô, negão”. Tem gente que fala que é ”mimimi”, mas tem de ter esse cuidado, para não dar a liberdade a quem não é daquele grupo se sentir no direito de chamar. E para quem esteja de fora e perceba aquilo não faça um julgamento e ache que você está se portando de maneira preconceituosa”, destacou o ex-atleta em entrevista para o Globo esporte.

5) Marinho

Por fim, o atual atacante do Flamengo, Marinho, sempre se posicionou a favor da luta contra o racismo. “Defendo a bandeira porque passo na pele essa situação, e quando a gente passa, a gente sofre’’. 

O atleta mostrou indignação nas redes sociais sobre o caso do entregador por aplicativo que foi alvo de ofensas racistas ao entrar em um condomínio, e clamou por punições mais severas aos agressores. “Enquanto ficarmos só nas hashtags, pessoas como o Matheus vão seguir passando por isso”, desabafou em entrevista para a UOL. 

E aí, quais outros jogadores poderiam entrar na lista? Conta pra gente nos comentários! Professor, temos um conteúdo que vai te ajudar a trabalhar este tema com os seus alunos, clique AQUI para acessar.

2
Deixe um comentário

avatar
2 Todas os comentários
0 Todas as respostas
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Resposta com mais engajamento
  Inscrever-se  
Mais novos Mais antigos Mais votados
Notificação
Telma cruz dos santos
Visitante
Telma cruz dos santos

Infelizmente volta e meia encontramos lixos que se portam como gente e se acha no direito de agredir as pessoas por conta da cor da pele .concordo sim que seja punido por cometer esse crime tão odioso.parábens para nossos heróis dos gramados.eu sei bem como esse tipo de comportamento nos machuca ,volta e meia passo por isso.

Débora Ireno Dias
Visitante
Débora Ireno Dias

Opa! Eu já ia começar a preparar a aula desta semana! E vcs me enviam esta preciosidade! Muito obrigada