Cobertura

Importância social do esporte

Troca de ideias sobre o potencial do esporte escolar no desenvolvimento integral de crianças e jovens

O esporte pensado na perspectiva da educação integral se torna uma ferramenta para o desenvolvimento de habilidades e competências de crianças e jovens. Para debater o assunto, nos dias 9 e 10 de agosto, o I Congresso de Educação Esportiva: O Esporte e seu potencial transformador promove a oficina “Importância social do esporte”. O bate-papo contará com a presença de Fábio D’Ângelo, do Instituto Esporte e Educação, e da ex-atleta Elisangela Adriano, detentora do recorde sul-americano de arremesso de peso e lançamento de disco, além de inúmeras conquistas no esporte.

Durante o encontro, os participantes irão debater sobre o papel do esporte educacional como elemento que promove e oportuniza o desenvolvimento integral. Para Fábio D’Ângelo, o esporte pensado como uma prática cultural, que normalmente atrai crianças e jovens, também é um espaço de educação. “O lado social do esporte destaca alguns princípios. O primeiro é a inclusão de todos. Pensar a importância social do esporte é pensar o esporte para todos. O Brasil ainda carece de valorizar o esporte como um direito, apesar de ser um marco legal. O segundo princípio é o respeito à diversidade, pois não são as crianças que se adaptam ao método, mas sim o método que se adapta à criança. Em terceiro lugar, há a construção coletiva, isto é, todas as práticas podem e devem ter regras e recursos construídos coletivamente. O quarto princípio é o da educação integral, de olhar o esporte como um caminho para desenvolver as dimensões do fazer, do ser, do conhecer e do conviver. E, por fim, a construção da autonomia em diversos níveis”, explica.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) aponta que 38% das escolas públicas e privadas do Brasil possuem condições precárias para a promoção de atividades físicas e esportivas e somente 0,03% oferecem uma cultura e infraestrutura instituída de valorização e promoção do esporte.

A ex-atleta Elisângela Adriano, que atualmente comanda IEMA — Instituto Elisângela Maria Adriano, atende crianças e adolescentes de 10 a 19 anos, além de atletas paralímpicos, para iniciação esportiva no atletismo. “Eu comecei em uma escola municipal e um professor me chamou para fazer atletismo, com 11 anos. Através do esporte a gente aprende dedicação, disciplina, educação, respeito, que são coisas que a gente leva para o resto da vida. O esporte na escola é fundamental e é um suporte na construção de valores”, destaca.

 

Oficina 1 – Importância social do esporte

Datas: 09 ou 10 de agosto de 2019

Horário: 14h30 às 17h

I Congresso de Educação Esportiva: O Esporte e seu potencial transformador

Deixe seu comentário

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *