Cobertura

Veja como são as aulas de Educação Física nos países mais afetados pelo coronavírus

Com escolas fechadas, professores são obrigados a inovar com a tecnologia

O coronavírus se tornou a principal manchete de jornais do mundo todo. Já são mais de 90 mil casos em 71 países. Além da China, alguns deles foram severamente afetados, como Coreia do Sul, Japão e Itália. Uma das medidas para controlar o avanço do vírus nessas regiões foi o fechamento das escolas. As aulas presenciais foram substituídas por videoconferências entre professores e alunos.

Mas como fica a Educação Física nessa situação? Aproveitando a tecnologia, os professores mantiveram o compromisso de movimentar os alunos, e inovaram na forma de ensinar.

Veja, no vídeo abaixo, alguns exemplos de aulas de Educação Física na China. Os educadores fazem exercícios que podem ser replicados dentro das casas dos alunos.

Além de atividades mais simples, como alongamento, os professores estão ensinando modalidades como o yoga. Um exemplo vem do americano Bill Hester, que dá aula em Guangzhou, na China. Depois que sua escola foi fechada e o ensino a distância se tornou a única opção, ele passou a recorrer a vídeos de yoga no YouTube. Em entrevista ao jornal USA Today, Hester conta que essa é uma solução para “combater o tédio e a inatividade dos alunos durante a quarentena.”

Também na China, uma foto viralizou na internet. Ela mostra o diálogo entre dois vizinhos. O morador do andar debaixo reclama do barulho que uma criança estava fazendo ao pular cordas. O pai responde: “sinto muito, mas ele está na aula de Educação Física”.

diálogo em chinÊs mostra reclamação de vizinho com barulho

Chris Dede, professor de Harvard, conversou com o canal de notícias CNN sobre essa situação. Segundo ele, há muitos estudos que mostram efeitos psicológicos negativos em crianças que passam por grandes períodos de isolamento. “Mas seria muito pior se esses alunos estivessem sem nenhum educador qualificado colaborando com o aprendizado”, admite o especialista.

Enquanto o vírus não é controlado, a dobradinha entre tecnologia de ponta e bons professores permite que os alunos continuem ativos no dia a dia. Esperamos que todos possam em breve voltar à normalidade nas escolas!

BNCC na Prática: do currículo à sala de aula

Deixe seu comentário

5 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Avatar Eduardo disse:

    Se tiver mais sugestões mande para mim

  2. Avatar Clotildes Cazé disse:

    Parabéns!

  3. Avatar Fernanda Do Prado Alves Almeida disse:

    Parabéns adorei conteúdo obrigado plea dica!

  4. Avatar Italo disse:

    Muito bom me ajudou bastante

  5. Avatar valeria disse:

    Amei a ideia, estarei multiplicando nas minhas aulas..