Histórias Inspiradoras

Saiba tudo sobre o adiamento dos Jogos Tóquio 2020

Entenda todas as mudanças que vão ocorrer nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos em função da pandemia do coronavírus

Antes de ler a matéria, um aviso importante: os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Paris 2024 estão chegando! Preparamos um site com mais de 50 conteúdos gratuitos para as suas aulas. Acesse: https://impulsiona.org.br/paris2024/

Depois de muitas semanas de incertezas e boatos, o Comitê Olímpico Internacional (COI) bateu o martelo: os Jogos Tóquio 2020 serão adiados em função da pandemia do coronavírus. Entenda como essa decisão impacta o maior evento esportivo do mundo.

Nova data

Menos de uma semana depois de anunciar o adiamento da competição, o COI e o Comitê Paralímpico Internacional já marcaram a nova data dos Jogos. As disputas Olímpicas acontecem de 23 de julho a 08 de agosto de 2021. As Paralímpicas, de 24 de agosto a 05 de setembro do mesmo ano.

Isso já aconteceu na história?

Os Jogos Olímpicos nunca foram adiados, mas já foram cancelados. Em função da Primeira e da Segunda Guerra Mundial, as edições de 1916, 1940 e 1944 não aconteceram. Veja abaixo que em 1940, a própria cidade de Tóquio iria receber os Jogos, e já contava inclusive com materiais de comunicação.

A pressão pelo adiamento foi decisiva

Enquanto o COI alegava durante janeiro, fevereiro e boa parte de março que os Jogos continuariam acontecendo em 2020, os Comitês Olímpicos dos países participantes começaram a se posicionar contra a organização da competição. Canadá, Austrália e Noruega foram alguns dos países que afirmaram que não iriam enviar seus atletas ao Japão. O Comitê Olímpico Brasileiro se posicionou, alegando que, além da questão da saúde, havia uma “dificuldade dos atletas de manterem seu melhor nível competitivo pela necessidade de paralisação dos treinos e competições em escala global.”

A população japonesa também se manifestou. Em meio à pandemia do coronavírus, uma pesquisa no começo de março indicou que 78% dos respondentes não queria que os Jogos acontecessem em 2020.

Como ficará a marca?

Os Jogos Tóquio 2020 vão virar Tóquio 2021? Segundo o Comitê Olímpico Internacional, não. A marca permanece idêntica, para evitar mais custos. E a chama Olímpica, que teve seu revezamento em 2020 cancelado, ficará acesa em solo japonês até a competição começar no ano que vem.

Arenas e Estruturas

Quase toda a infraestrutura necessária para os Jogos já estava pronta. Algumas delas serão usadas antes da competição começar, em outros torneios. Uma das maiores dores de cabeça para a organização, porém, é a Vila Olímpica. Muitos dos apartamentos que seriam utilizados como residência pelos atletas em 2020 já estão vendidos. E os compradores terão que esperar até o ano que vem para se mudar.

A preparação dos atletas com o adiamento

Milhares de atletas treinaram para atingir o auge do desempenho físico e mental nos Jogos de 2020. O adiamento altera o planejamento de muitos, incluindo a parte financeira. Isso porque grande parte dos competidores têm outros empregos ou estudam, e alguns dos patrocínios podem ser rompidos com as novas datas. Já os atletas próximos do fim da carreira talvez não consigam manter o alto rendimento por mais um ano.

A qualificação para os Jogos Tóquio 2020 é mais uma incerteza. Quem estava classificado para competir em 2020 poderá ser ultrapassado por outros atletas até 2021 ou tem a vaga garantida? Atletas que não tinham idade suficiente (16 anos) para os Jogos até 2020 poderão competir em 2021?

Algumas das maiores competições esportivas também serão impactadas. Os Mundiais de Atletismo e de Natação, por exemplo, deveriam acontecer em 2021. Os organizadores, porém, já declararam a intenção de mudar as datas dos eventos.

O Comitê Olímpico do Canadá saiu na frente e lançou uma campanha de motivação: “adie hoje, conquiste amanhã”.

Espectadores e voluntários

Pessoas de todos os cantos do mundo iriam voar para Tóquio em 2020 para participar dos Jogos, seja como espectador ou voluntário. Grande parte delas já havia comprado passagem aérea e reservado acomodações – nada baratas no Japão. Uma das ferramentas mais usadas, o AirBnB, que também é patrocinador da competição, está tentando ajudar na negociação com os proprietários dos imóveis, em busca de uma flexibilidade maior das taxas de cancelamento ou adiamento. Muitos, porém, estão se recusando a devolver o dinheiro, e os futuros viajantes poderão sair no prejuízo. Em função do coronavírus, o treinamento de 80.000 voluntários foi adiado em fevereiro. O COI ainda não anunciou como lidará com a questão dos ingressos já vendidos.

Um desenho previu o futuro?

O filme japonês “Akira”, de 1988, voltou às manchetes nas últimas semanas. A animação conta a história de uma gangue de ciclistas adolescentes que acidentalmente se envolve em um experimento secreto do governo com crianças com habilidades psíquicas.

Mas qual a relação disso com os Jogos Olímpicos?

É que o filme não só acerta que Tóquio seria sede dos Jogos de 2020, como também mostra em algumas cenas a pressão popular para que eles fossem cancelados. Veja abaixo. Uma contagem regressiva marca 147 dias para a competição, e as pichações pedem o cancelamento da competição.

Impacto econômico

Segundo reportagem do Channel News Asia, o adiamento dos Jogos Tóquio 2020 pode causar uma redução de 0.5 a 0.8 no crescimento econômico do Japão. Isso, somado ao recuo no turismo em função do coronavírus – em fevereiro o número de visitantes caiu quase 59%, a maioria chinesa e coreana – pode ter um impacto bastante negativo na economia do país. Algumas pessoas estimam que o custo do adiamento pode chegar a 2.6 bilhões de dólares.

Talvez os maiores prejudicados sejam os donos de pequenos negócios, como restaurantes, ou as redes de hotéis. O investimento foi feito pensando no retorno dos Jogos em 2020, e muitos talvez percam o emprego ou tenham dificuldades para manter suas empresas com o adiamento.

Patrocinadores

Falando em impacto econômico, os patrocinadores dos Jogos Tóquio 2020 devem estar quebrando a cabeça fazendo contas. Estima-se que ao se vincular à competição e ganhar o direito de anunciar com os aros Olímpicos, uma das marcas mais reconhecidas do planeta, as empresas gastem 3 reais em campanhas de publicidade para cada real de direitos de patrocínio.

Grande parte desse marketing já estava produzido e pronto para rodar em diferentes canais de comunicação do mundo todo. Com a pandemia do coronavirus e o adiamento dos Jogos, é muito provável que os patrocinadores sejam obrigados a redesenhar as campanhas e ajustar o tom das mensagens.

Jogos da esperança?

Muitas pessoas estão defendendo que os Jogos de Tóquio em 2021 podem carregar uma simbologia forte. Espera-se que até lá o mundo tenha vencido a batalha contra o coronavírus, e as Olimpíadas podem representar a união, solidariedade, superação e paz após um período duro para todos. Seria o momento perfeito para a maior celebração esportiva do planeta.

Mas entre os especialistas, fica uma dúvida: e se o COVID-19 não estiver totalmente controlado até julho de 2021? E se a vacina para o vírus ainda não tiver sido testada e aprovada?

Resta a todos aguardar os próximos capítulos dessa história. Esperamos que sejam de muita saúde, esporte e medalhas.

BNCC na Prática: do currículo à sala de aula

Deixe um comentário

avatar
  Inscrever-se  
Notificação